Nidus

Sabe aquele grande plano para 2022? Esse livro vai lhe ajudar! Segredos de sucesso e riqueza do “Homem mais rico da Babilônia”.

Sabe aquele grande plano para 2022? Esse livro vai lhe ajudar! Segredos de sucesso e riqueza do “Homem mais rico da Babilônia”.

Olá caros leitores do Nidus! Iniciamos um novo ano com uma ótima oportunidade de ajustar a bússola moral, alinhar propósitos, tirar projetos do mundo das ideias e alcançar metas sonhadas. Nesta primeira coluna do ano para o Laboratório de Inovação, trago reflexões e ensinamentos alinhados a esse novo ciclo – Iremos conhecer a história e os ensinamentos de Arkad, o homem mais rico da Babilônia.

Antes de abordar o assunto do livro, um pequeno preâmbulo: O grande propósito desta coluna, apesar dos assuntos variados (inovação, aprendizado, tecnologia, criatividade, resenhas e outros), é abordar um tópico específico, o empreendedorismo no serviço público. O livro em questão trata de um ponto relevante nesse grande tópico – o zelo para com as finanças pessoais.

Vamos lá! O livro “O Homem mais rico da Babilônia”, de George S. Clason é um bestseller com mais  de 2 milhões de exemplares vendidos por todo o mundo e traz, por meio de parábolas e ensinamentos, segredos para ter uma vida mais feliz, leve e organizada. A história apresenta a trajetória de Arkad que, vivendo na rica Babilônia, reflete sobre sua mediocridade e dificuldades e passa a  investigar como alguém consegue acumular riquezas, prover sua família e desfrutar o melhor da vida.

Abaixo um recorte de trecho de seus pensamentos e motivação:

“Ainda em plena juventude — continuou Arkad —, eu olhava em minha volta e observava todas aquelas boas coisas capazes de propiciar felicidade e contentamento. Percebi então que a riqueza aumentava ainda mais a potência delas”

Perceba que Arkad não questiona se o dinheiro é bom ou mau, apenas reflete de que com dinheiro as coisas podem ser melhores e potencializadas em seu aspecto positivo. E é o que de fato queremos na vida adulta, não é mesmo? Melhoria do nosso bem-estar, da nossa família e dos que estão ao nosso lado. 

O protagonista ensina a alcançar esse patamar de riqueza e estabilidade por meio de 07 regras bem simples, que chegam a ser óbvias, mas que por muitas vezes são por nós ignoradas, desprezadas e até esquecidas. Vamos juntos conhecer esses ensinamentos?

Primeira regra – O princípio básico da riqueza, guardar ao menos 10%

“Para cada dez moedas que colocarem em suas bolsas, não retirem para uso próprio mais do que nove. A bolsa começará a ficar estufada, e seu peso cada vez maior será uma fonte de prazer para suas mãos e uma fonte de bem estar para as almas”.

Ou seja, a primeira regra é extremamente simples: Não gaste mais do que ganhe e poupe ao menos 10% da sua renda. Arkad explica ao longo do livro que esse é o princípio básico da geração de riqueza e que por meio da formação dessa pequena reserva particular inicial, poderá ser alcançado um grande tesouro.

Segunda regra – Controle seus gastos

“O propósito de um orçamento é ajudá-los a juntar dinheiro. Uma maneira de garantir que vocês consigam o necessário e, na medida em que se mostrem acessíveis, seus outros desejos. É capacitá-los a perceber seus mais profundos anseios, defendendo-os contra aquisições meramente casuais”.

Arkad ensina a estabelecer um orçamento pessoal, de forma a controlar seus gastos e evitar que tudo se vá para desejos e prazeres momentâneos. Explica que todo homem tem desejos, mas que a capacidade de controlá-los viabiliza alcançar coisas e desejos ainda maiores, que não estavam nem mapeados inicialmente. 

Ou seja, aquele rolezinho despretensioso aqui ou acolá, pode estar lhe “roubando” ou privando de uma conquista mais prazerosa e relevante em sua vida.

Terceira regra – Multiplique seus rendimentos

“Vejam como o dinheiro está começando a entrar. Vocês se disciplinaram para reservar um décimo de todos os seus ganhos. Controlaram as despesas para proteger o tesouro crescente. Devemos agora considerar os meios para pôr esse tesouro para trabalhar e crescer. Ter dinheiro guardado é gratificante e pode alegrar uma alma avarenta, mas isso não leva a nada. A quantia que podemos separar de nossas diversas fontes de remuneração não passa de um começo. Seus ganhos, sim, é que construirão nossas fortunas”.

Já construído o hábito de guardar dinheiro e o de estabelecer um orçamento, de forma a passar a ter controle da sua vida financeira, Arkad ensina que a verdadeira riqueza não vem do que você é capaz de guardar, mas do que esse valor depositado consegue lhe trazer de renda.

A renda passiva, por meio de juros sobre juros, é um dos grandes segredos da acumulação, são ferramentas nas quais o dinheiro gera mais dinheiro sem demandar esforço contínuo. Exemplo aqui são as ações, títulos públicos, fundos imobiliários, aluguéis e outros.

Quarta regra – Proteja seu tesouro contra a perda

“Meu primeiro investimento foi uma tragédia. Depositei minhas economias de todo um ano nas mãos do oleiro Azmur, que na época viajava por mares distantes e me propusera comprar junto aos fenícios em Tiro jóias da mais alta qualidade. Quando voltasse, nós as venderíamos e dividiríamos os lucros. Os fenícios comportaram-se como salafrários e venderam-lhe pedaços de vidro. Meu tesouro se perdeu”.

Arkad em seu primeiro investimento teve uma grande perda, arriscou todo seu capital em um negócio do qual não tinha conhecimento algum, motivado por um palpite duvidoso e por ganância. Desse aprendizado, estabeleceu a quarta regra:

“Protejam seus tesouros contra a perda, investindo onde o principal esteja a salvo, onde possa ser reivindicado sempre que o desejarem e onde fique claro para vocês que vão realmente conseguir uma bela renda”.

Ensina ainda a buscar conhecimento e ajuda de pessoas experientes, com conhecimento de causa, negócio e mercado. Explica que um indivíduo hábil com o trato de dinheiro merece ser escutado e não aquele com uma “oportunidade incrível” ou um bilhete de loteria na mão do qual nunca se ouviu falar antes.

Ou seja, já que guardou valores controlou gastos e buscou multiplicar sua renda, é muito importante que não desperdice todo o trabalho de um ano ou mesmo de uma vida em negócios incertos. 

Quinta regra – Faça do lar um investimento lucrativo

“Assim, muitas bênçãos recaem sobre o homem que tem sua própria casa. E isso reduzirá em muito suas despesas, permitindo que uma parte maior de seus ganhos possa ser destinada aos prazeres e à satisfação de seus desejos. E aí está a quinta solução para a falta de dinheiro: Tenha o seu próprio lar”.

 Arkad ensina que um lar traz estabilidade financeira, emocional e uma realização pessoal. Que ter o seu próprio domicílio, com um pedaço de chão disponível para cuidar e sentir orgulho, dá confiança ao coração e maior ânimo a todos os outros esforços.

Sexta regra – Assegure uma renda para o futuro

“Seja previdente quanto às necessidades de sua velhice e quanto à proteção de sua família”.

Essa regra é comumente ignorada por nós brasileiros, tão acostumados a viver somente os dias presentes e de não planejar algo mais adiante, seja aposentadoria, uma eventual necessidade adicional de saúde e sua própria subsistência, via de regra. Com a remuneração de aposentadorias cada vez mais enxutas e repletas de regras para sua aquisição, vale a pena prestar atenção e aplicar esse ensinamento de Arkad.

A sétima solução: aumente sua capacidade para ganhar

“Cultivar suas próprias aptidões, estudar e somar conhecimentos, tornar-se mais habilidoso e agir sempre respeitando a si mesmo”.

O último ensinamento do Homem mais rico da Babilônia é o de estudar, estudar e estudar! Buscar o aperfeiçoamento pessoal, profissional, construir novas habilidades e atributos que continuem o impulsionando adiante. 

Esse aspecto é tão relevante para esta coluna que destaco outro recorte do livro:

“Os negócios humanos mudam e aperfeiçoam-se, porque cidadãos entusiasmados estão sempre procurando melhorar a própria habilidade a fim de servirem com mais eficiência e qualidade aqueles de que dependem. Por isso sugiro a todos os homens que se ponham na linha de frente do progresso e não fiquem parados, sendo passados para trás”.

Conclusão:

Essas 07 regras são uma pincelada do vasto conhecimento que o livro traz, que vai muito além de temas como acumulação, apresenta também muitos exemplos de vida repletos de ensinamentos morais e práticos sobre o valor da família, do trabalho, do foco e da constância.

O livro “O homem mais rico da Babilônia” é fantástico, lúdico e repleto de sabedoria. Recomendo a todos os leitores e amigos a se aprofundarem nos conhecimentos de riqueza e desenvolvimento pessoal com Arkad e começar esse ano com ainda mais propósito e comprometimento.

Raony Osório

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *