Nidus

O que as Olimpíadas de 2021 vão nos deixar, além de saudades?

O que as Olimpíadas de 2021 vão nos deixar, além de saudades?

#tokyo2020, se foi. Mas, calma!! Para os fanáticos pelo esporte, em menos de 1 mês teremos as paraolimpíadas, para acompanhar, não dormir e nos inspirar!!!

Enquanto isso, vamos conversar sobre o que, além de saudades, essas Olimpíadas vão nos deixar?

Os atletas olímpicos deram vários shows… de força, disciplina, muito suor, garra e superação.

Histórias incríveis de pessoas de carne e osso que parecem verdadeiros heróis em alguns momentos.

Pessoas que dedicam anos da sua vida para, muitas vezes, em poucos minutos, entregarem tudo de si, com todo amor e dedicação.

Mas além de tudo isso que, a propósito, temos a oportunidade de ver de 4 em 4 anos, os atletas desta edição trouxeram, nas entrelinhas, um comportamento incrível de humanidade!

Um senso de coletividade fortíssimo que nos faz refletir sobre o verdadeiro espírito competitivo.

Vimos cenas fortíssimas de empatia, como por exemplo no Skate Park, quando a Japonesa Misugu Okamoto, ficou arrasada ao cair em sua última volta, perdendo seu lugar no pódio e suas “rivais” correram abraçá-la, apoiando e, literalmente, levantando o seu astral.

Como também na natação, quando Tatjana Schoenmaker, registrou o primeiro recorde mundial individual da natação nestes Jogos Olímpicos e suas “rivais” nadaram até sua raia para celebrar tal conquista, como se fosse delas!

E pra completar tanta inspiração, os simpáticos atletas de salto em altura, Mutaz Essa Barshim do Qatar e Gianmarco Tamberi da Itália, protagonizaram uma cena linda de parceria e coletividade, ao concordarem em dividir o ouro da modalidade.

Nos deixando a lição de que estamos vivendo a era do NÓS e não mais do EU.

Que se temos como vibrar com as conquistas dos outros ou apoiar quem está sofrendo, assim devemos fazer.

Dividindo méritos, respeitando a trajetória de cada pessoa e valorizando cada gota de suor que cada um de nós entrega no nosso dia a dia.

Que a gente transforme a história do salto em altura em metáfora e sempre pense:

Se nessa situação, que estou vivendo, todos podem ganhar um ouro, por que não?

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *