Nidus

Arquivos da categoria: Artigos

“Como minha organização pode ser tornar inovadora?” Essa é uma pergunta relevante e não existe resposta pronta. Mas um ponto de partida comum é fazer um diagnóstico. Já dizia William Deming”: “não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende e não há sucesso no que não se gerencia”. No entanto, existem diversos métodos para identificar o nível ou a maturidade de inovação e nem todos servem para tudo. Medir a inovação pelo o número de patentes ou o faturamento com novos produtos e serviços faz sentido para uma empresa que está no mercado.  Mas e se for uma organização que não tem produtos ou serviços que são patenteáveis? Ou uma que não tem fins lucrativos ou que gera dinheiro vendendo o que entrega? Isso quer dizer que ela não é inovadora? Organizações possuem diferentes…

Leia mais

Você não precisa ter um dom especial para ser criativo, lições do bestseller “roube como um artista”, de Austin Kleon Há duas semanas, nesta coluna do Nidus Lab, compartilhei uma lista de 05 características e atitudes do chamado espírito empreendedor para se cultivar e ter mais assertividade na vida profissional e pessoal. A chamada era de que com elas você se tornaria um profissional melhor e mais completo. Realmente acredito nisso e as características como iniciativa, disposição em assumir riscos e resolubilidade são altamente desejáveis e constituem diferenciais.  Neste texto irei abordar outra qualidade muito relevante e que está alinhada com o  movimento de inovação, de novas ideias e melhoria de processos, a criatividade.  Inspirado no autor Austin Kleon e seu best seller “Roube como um artista”, apresento algumas chamadas e seus ensinamentos sobre criatividade, que muitos consideram um dom, talento ou aptidão com a qual já se nasce, mas…

Leia mais

No último texto para a coluna no Nidus, trouxe algumas reflexões e provocações aos servidores públicos sobre a possibilidade de empreender, aproveitar seu tempo e gerar renda. Tive feedbacks positivos e muita gente também pensa que esse é um bom caminho. Claro que empreender não é para todos, afinal, esse ato pressupõe um gasto tremendo de energia, tempo e capital, mas tem algo sobre empreender que não necessariamente diz respeito a abrir um negócio, é mais uma ideia, uma inquietação, um ímpeto, algo que move muitas pessoas e é cada vez mais bem-vindo no serviço público – o espírito empreendedor. O espírito empreendedor é um conjunto de atitudes que certamente tornam o profissional melhor, mais completo e resolutivo. Ele flerta em larga escala com a inovação e a vontade de fazer e construir algo novo e melhor. Elenco 05 características que contemplam um pouco desse conceito e que podemos cultivar…

Leia mais

Desde 1994 atuo na área de tecnologia e felizmente pude participar de muitas transformações no setor público, mas nada é comparável ao que estamos experimentando neste momento. A intenção deste artigo, que escrevo para o público do NIDUS, não é esmiuçar conceitos ou teorias, mas sim compilar algumas ideias sobre inovação e burocracia. Sabe-se que no dialeto do inovador as palavras coragem, riscos, erros e agilidade são utilizadas com muita frequência. Numa visão tradicional de governo, em grande medida legalista (no qual muitas vezes os meios são mais importantes do que os resultados) temos a receita para a contraposição de todo movimento inovador. Falta-nos coragem para tentar fazer diferente, pois estamos submetidos a regulamentos de outra era. Somos julgados por órgãos de controle, nos quais não encontramos espaço para discussão sobre métodos inovadores. Em nossas instituições os ritos burocráticos consomem nossa capacidade de resolver os problemas de forma ágil. Essa…

Leia mais

Dos tabuleiros à necessidade de empreender.  Uma conversa com provocações aos servidores públicos A primeira coisa que você precisa saber sobre este texto é que ele tem um viés liberal em sua essência e que não é técnico. No entanto, não o abandone! A proposta é trazer algumas reflexões aos servidores sobre o uso de seu tempo, seu dinheiro e também algumas provocações que veremos adiante. No último artigo sobre gestão de videoconferências (que em tese não tem grandes relações com este), disse que eu era um jogador de tabuleiros e procurava a melhor opção disponível nos lances e também nas decisões sobre reuniões virtuais. Pois bem, foi entre uma partida e outra de um jogo desses, acompanhado de amigos servidores públicos que discutíamos sobre a profissão de cada um, seus desafios e remuneração. Na ocasião estávamos em 05 – um militar, outro analista de TI, dois técnicos administrativos de…

Leia mais

Na minha jornada no setor público tive a oportunidade de facilitar mais de uma de centena de oficinas e encontros onde é necessário algum tipo de decisão em grupo. A facilitação de grupos é sempre um desafio, especialmente no setor público, onde em muitos casos você precisa reunir atores (ou partes interessadas) com pensamentos e posições diferentes e até antagônicas. Compartilho com vocês dez lições que aprendi sobre o assunto. Fiel ao que são lições aprendidas, elas não são regras, mas sim um registro de experiências e práticas que tenho adotado e que auxiliam no enfrentamento dos desafios da facilitação de grupos. Estabeleça (e cumpra os) objetivos As pessoas que participam da facilitação estão doando um recurso precioso e que uma vez usado não pode ser reutilizado: tempo.  Faça valer o tempo que recebeu delas. Estabeleça e comunique objetivos de forma clara e construa sua facilitação para que eles sejam…

Leia mais

Muito do que você precisa saber para gerenciar videoconferências que ainda não te contaram Estreio minha coluna no Nidus, com um tema que está mais do que em voga e muito além de ser passageiro – videoconferências. As agora populares ferramentas de encontro virtual serão uma realidade no pós crise do COVID-19 e certamente acompanharão as rotinas de trabalho, independentemente de isolamentos ou restrições sociais. Nada melhor, portanto, do que utilizá-las da melhor forma possível. Muito já se escreveu sobre regras de comportamento e etiqueta em reuniões virtuais,  como: olhar para a câmera, desligar o microfone quando não estiver sendo utilizado ou pedir a fala no chat ou nos botões para tal (tem até aceninho de mão!). O que não lhe falam é o que está por trás disso tudo, como por exemplo: a gestão de uma sala, envio de convites, do link, testes e outros pormenores que veremos ao…

Leia mais

Quando reflito sobre aquilo que gostaria de fazer no meu setor, na minha Diretoria, na minha Secretaria, penso que não seria possível, que não existe recurso disponível para o que é necessário ser feito. E talvez, não haja recurso mesmo, ou precisaríamos de mais 30 pessoas para alcançarmos alguma meta imprescindível para o bom andamento do serviço público. Mas, e se parássemos, por um dia e escolhêssemos um único processo/tarefa que nos ocupa o dia, que demanda muito recurso, e tentássemos alterá-lo, o que você mudaria? Essa é a lógica de trocar o pneu do carro com ele andando: o serviço público não pode parar, é preciso continuar entregando para o cidadão, todos os dias, um serviço de qualidade, que não onere os cofres públicos e facilite suas vidas. Melhorar o desempenho do setor público é um dos principais objetivos dos governos em todo o mundo e a inovação no…

Leia mais

Seja um colunista nidus Você que trabalha ou não com comunicação, gosta de escrever, é expert em um dos vários assuntos relacionados ao ecossistema da inovação, chegou a hora de você se conectar ao Nidus e ao restante dos atores da inovação catarinense.Imagina ser um colunista voluntários e ter seus artigos publicados pelo Laboratório de Inovação de Santa Catarina?A comunicação e a informação, são um dos temas centrais deste laboratório e principalmente por esta iniciativa ter a clara missão de trazer para o público, através do Nidus, diferentes olhares, diferentes visões sobre o segmento e muito mais conteúdo para agregar.Para escrever um artigo o Nidus, basta clicar no link no final deste documento e nos enviar sua idéia (no máximo 200 palavras). Mas antesvamos a algumas orientações.Pressupomos a ética dos voluntários por isso nossos artigos não possuem temas ou regras fechadas de publicação, devem seguir algumas premissasbásicas. Priorizamos artigos que…

Leia mais

49/49