Nidus

Artigo 06 – Espírito Empreendedor – 05 características para você cultivar e se tornar um profissional mais completo.

Artigo 06 – Espírito Empreendedor – 05 características para você cultivar e se tornar um profissional mais completo.

No último texto para a coluna no Nidus, trouxe algumas reflexões e provocações aos servidores públicos sobre a possibilidade de empreender, aproveitar seu tempo e gerar renda. Tive feedbacks positivos e muita gente também pensa que esse é um bom caminho.

Claro que empreender não é para todos, afinal, esse ato pressupõe um gasto tremendo de energia, tempo e capital, mas tem algo sobre empreender que não necessariamente diz respeito a abrir um negócio, é mais uma ideia, uma inquietação, um ímpeto, algo que move muitas pessoas e é cada vez mais bem-vindo no serviço público – o espírito empreendedor.

O espírito empreendedor é um conjunto de atitudes que certamente tornam o profissional melhor, mais completo e resolutivo. Ele flerta em larga escala com a inovação e a vontade de fazer e construir algo novo e melhor.

Elenco 05 características que contemplam um pouco desse conceito e que podemos cultivar tanto em nossas vidas profissionais quanto pessoais, para obter melhores resultados:

  1. Iniciativa

Talvez esse seja um dos principais pontos, o indivíduo com esse atributo toma a frente, não espera um pedido ou ordem. Ele consegue se antecipar a uma necessidade e vai atrás de apresentar soluções. Vê algo errado ou fora do lugar e trata de buscar uma correção ou melhoria.

Ou seja, ele tem atitude, é inquieto e apresenta soluções a um determinado problema.

Sobre isso, trago um grande ensinamento do CIGS – Centro de Instrução e Guerra na Selva do Exército Brasileiro: “Tenha iniciativa, pois não receberá ordens para todas as situações. Tenha em vista o objetivo final”. Se até os militares, que possuem diversos regramentos e hierarquia, buscam a iniciativa, podemos esperar muito dos outros profissionais e também em nossa vida pessoal.

  1. Curiosidade

Essa é uma característica que temos ligada em uma frequência alta na infância e vamos perdendo conforme o tempo passa. Uma criança pergunta tudo, quer saber os porquês e absorver o máximo de conteúdo e ensinamentos que puder. Já quando adultos, parece que esquecemos da importância disso e de como é importante saber mais, conhecer mais e aumentar nosso conhecimento.

Uma pessoa curiosa, pesquisa, explora, busca entender mais sobre um tema, suas razões, os pormenores e muitas vezes chega a respostas muito diferentes do que imaginava lá no começo. Quando você estuda um tema, tem acesso a uma infinidade de conhecimento e consegue aumentar seu repertório e aprimorar suas ideias.

Ser curioso é, portanto, estar aberto ao conhecimento e a novas soluções e acima de tudo, buscá-los.

  1. Habilidades de negociação

Se tem algo que é realmente antigo e acompanha nossa sociedade desde os primórdios, é o ato de negociar e lidar com pessoas.

E não precisamos ir longe na história para verificar isso, hoje em dia, iniciamos esses movimentos desde a hora que acordamos, ligamos o telefone e começamos a receber mensagens de pessoas com as mais diversas expectativas, necessidades e interesses. Então antes mesmo de levantarmos da cama, já começamos a negociar e gerenciar problemas e situações.

Apesar de ser algo cotidiano, recorrente e antigo, é cada vez mais difícil conseguir lidar e conciliar desejos diversos, personalidades distintas e ajustar soluções entre diferentes partes envolvidas.

Por isso que uma pessoa hábil no trato social, com grande empatia e habilidades de persuasão e negociação, é tão requisitada e bem vinda em qualquer ambiente de trabalho e socialmente.

  1. Disposição a assumir riscos

Assim como o empreendedor que arrisca seu patrimônio em uma ideia ou negócio, a pessoa com espírito empreendedor também possui uma disposição, ainda que pontual, de assumir riscos e tomar decisões difíceis, arriscando sua posição ou reputação.

O profissional com essa característica é digno de respeito, admiração e difícil de encontrar, visto os complicadores intrínsecos às tomadas de decisão e em especial de bancá-las.

Sem dúvidas você já ouviu de alguém “Faz e qualquer coisa diz que fui eu”, “Pode fazer que assumo o risco”, pois é.. Em geral elas estavam em uma posição superior a você ou de liderança momentânea, perceba que isso não se deu à toa.

  1. Ser conclusivo

E de pouco adianta ter iniciativa, curiosidade, chamar a responsabilidade para si, ter habilidades diversas, se não conseguir fazer entregas e apresentar resultados. Tal qual o empreendedor que prepara sua loja com cuidado, compra produtos, divulga, abre diariamente e não vende nada. Sem o retorno diário e resultados, ao final do mês estará mais próximo do insucesso.

Isso é primordial quando lidamos com ações, tarefas, relatórios e projetos. Se começamos algo, precisamos concluir e não deixar para depois ou ficar adiando. Esse é um ponto chave ao indivíduo que possui espírito empreendedor, ele é movido por aquele ímpeto, mas deve ser focado em suas entregas.

Conclusivo é aquela pessoa, funcionário ou amigo, “que resolve”. E como é bom estarmos perto de pessoas assim, não é mesmo?

Essa gama de atitudes, modo propositivo de agir e pensar é certamente muito bem vinda ao serviço público, que precisa cada vez mais de pessoas interessadas em fazer a diferença, em trazer inovações, em otimizar processos, em atender melhor e apresentar soluções ao invés de apenas problemas.

E você, o que está esperando para explorar essas habilidades? Lhe convido a cultivar esse espírito empreendedor e ser um agente transformador na sua organização.